Por: Mike Malakkias Em: setembro 10, 2016 Categoria: Artigos, Autoral Comentários: 0

O O QUE VOCÊ ESTÁ ESCONDENDO?

QUANDO VOCÊ ENFRENTARÁ A VERDADE E O QUE ACONTECERÁ QUANDO O FIZER?

Era uma manhã de segunda-feira, dezembro de 2015, tudo parecia normal lá fora, eu havia concluído meu curso de graduação na sexta anterior recebendo honras ao mérito por ter sido o melhor aluno da turma com 95% de aproveitamento. Com o trabalho estava tudo certo, afinal, após um ano entregando bons resultados era hora de descansar. Nos círculos sociais eu era conhecido por ser divertido, brincalhão, ótima companhia para as festas de finais de semana. No círculo familiar eu era referência, modelo a ser seguido, durão, destemido. Em cada circunstância eu apresentava uma face da minha personalidade forte. Lá fora!

Aqui, dentro de mim, estava cansado, sentindo medo de tudo, sem forças para reagir a qualquer estimulo. Mergulhei em uma depressão profunda após anos e anos tentando provar algo aos outros e escondendo o que realmente perpassava em meu íntimo. Minha própria sombra havia me engolido. Não queria mais sair da cama!

sombra1A sombra é obscura, é secreta, e pode ser perigosa. A sombra é aquilo que não queremos que os outros saibam, coisas que ocultamos, coisas sobre as quais mentimos… não somente aos outros, mas a nós mesmos também. É como monstros que saem de suas cavernas no meio da noite. É esse lado obscuro, intrínseco, dentro de nós, que cada um tenta esconder. Nos ensinam desde cedo que existem aspectos inaceitáveis para quem somos.

A sombra se monstra de muitas maneiras. Fazendo compras desnecessárias que você não terá condições de pagar, imaginando que isso lhe fará bem, bebendo demais na crença de que amanhã será um novo dia, mentindo sobre você para ser aceito em uma roda de amigos, rindo quando na verdade lá no seu íntimo o sentimento é de melancolia e vontade de chorar, pagando por um curso de línguas que você nunca irá frequentar e imaginando que isso o fará falar outros idiomas, afinal, se está pagando o problema será resolvido sem esforço algum, creem.

Nosso lado sombra se manifesta quando pregamos uma doutrina mas agimos de modo contrário a ela. Pessoas que expressam uma moralidade auto-repressora, são normalmente as que tem uma sombra mais obscura e profunda. Um exemplo polêmico se mostra naqueles que repudiam a existência dos homo afetivos enquanto encobrem atos de pedofilia em suas fileiras; sim, falo de alguns casos relacionados à igreja católica. Também é nosso lado sombra se manifestando quando roubamos as ideias de nossos colegas de trabalho e afirmamos que são nossas. Tudo isso são expressões da sombra e nós a escondemos.

A sombra é feita dos pensamentos, emoções e impulsos que achamos dolorosos demais, constrangedores ou desagradáveis para aceitar. Portanto em vez de lidar com eles, nós os reprimimos. E quanto mais vivemos a negação de nossas sombras individuais mais força ela ganha, até o momento em que está tão forte que acaba por nos vencer. Isto acontece sempre que vivemos na negação do que somos.

Sim, a maioria de nós temos uma vida pública e uma vida secreta, encoberta por uma máscara!

“A suspeita sempre persegue a consciência culpada; o ladrão vê em cada sombra um policial.” —William Shakespeare

vulto-sombra-1383232835014_956x500

 

QUAL MÁSCARA VOCÊ ESTÁ USANDO HOJE?

Nossas mascaras acabam se tornando verdadeiras prisões. Precisamos delas para não mostrar ao mundo nosso ego ferido que sofre e sangra por dentro, as partes de nós que foram julgadas como más ou erradas pelos outros e agora por nós mesmos. Por fora mostramos ao mundo nossas mascaras, por dentro gritamos num urro abafado pedindo liberdade. Com o tempo esse urro ganha tamanho e se transforma numa força imensurável capaz de machucar a nós mesmos e aqueles que estão ao nosso redor. Além de prejudicar nossas vidas, prejudicamos as vidas dos outros, até mesmo de quem amamos.

 

AGORA PARE POR UM INSTANTE E REFLITA…

Quanta energia você vem empregando para ocultar do mundo o seu lado sombra? Até quando você será capaz de controla-la? Você vai esperar que sua sombra, que cada dia ganha mais força, exploda de uma vez e traga à tona tudo aquilo que você esforça em esconder? Você realmente acredita que terá o domínio das suas máscaras para sempre e que isso o levará de encontro ao sucesso?

Não! De forma alguma.

 

E SE EU LHE DISSER QUE A SOMBRA É UMA ENERGIA INERENTE AO SER HUMANO, NEM BOA NEM RUIM, E QUE VOCÊ PODE FAZER USO DELA EM SEU FAVOR?

Quando você não se conscientiza a respeito do seu lado sombra e não o compreende, a sombra aparecerá e lhe pegará desprevenido. Ou você usa seu lado sombra, ou ele vai usar você!

“Viver é como andar de bicicleta: É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio.” —Albert Einstein

 

DUALIDADE: O SEU UNIVERSO INTERIOR PRECISA DE EQUILÍBRIO

O termo dualidade assinala a existência de dois fenômenos ou características diferentes numa mesma pessoa. Sim, é hora de admitir que na sua integralidade você é feito de luz e sombra, aliás, tudo no universo é dualista e você é parte do universo. A filosofia chinesa recorre à noção do yin e do yang para resumir a dualidade de tudo aquilo que existe no universo. Esta ideia pode aplicar-se a qualquer situação ou objeto, já que se poderia explicar na premissa que sustenta que em todo o bem há algo mau (negativo) e vice-versa.

Neste momento você deve estar se contraindo na cadeira e se perguntando: Ok, Mike, o que eu tenho de fazer com meu lado sombra?

Eu respondo: Vamos por tópicos e aos poucos, este assunto não se encerra nesta postagem e irei aprofundar futuramente… Ué, você como eu, passou anos construindo suas máscaras e alimentando suas sombras e acha que existe uma fórmula mágica para resolver seus problemas da noite para o dia?

Por hora, da mesma forma que você empregou uma energia monumental alimentando seu lado sombra, o que eu proponho é que você gaste sua energia para equilibrar essa balança interna.

Como disse, vamos por passos:

 

Passo 1: Pare de projetar

A sombra, segundo Jung, nos diz para ignorar as próprias fraquezas e projetá-las nos outros. Para evitar a sensação de que não somos bons o bastante, enxergamos os que estão ao nosso redor como se fossem suficientemente bons. Pare, deixe disso… não projete mais!

 

Passo 2: Faça as pazes com seus sentimentos.

Quando você sentir que seu lado sombra está manifestando, você tem uma escolha. Na verdade, várias escolhas. Pode empurrar o sentimento de volta para dentro. Pode se culpar por não ser uma boa pessoa. Pode atacar o sentimento, lamentar ou se desculpar por ele. Nenhuma dessas alternativas é produtiva, pois conduzem às mãos da sombra, reforçando o sentimento indesejado e tornando-o ainda mais indesejável.

Como você pode curar um sentimento indesejado, quando ele está agindo contra? NÃO PODE. Até que você faça as pazes com seus sentimentos negativos, eles persistirão. A maneira de lidar com a negatividade é reconhecê-la. Não é necessário nada mais. Nada de confrontos dramáticos, nada de catarse. Sinta o sentimento, seja ele raiva, medo, inveja, agressividade ou qualquer outra coisa, e diga: “Eu o vejo. Você me pertence“. Você não precisa se sentir bem quanto ao sentimento indesejado. Isso é um processo.

 

Passo 3: Desprenda-se

Por que é difícil abrir mão das emoções negativas? Há mais de uma razão. Primeiro, as emoções negativas são a ponta do iceberg, portanto, toda vez que ficar zangado ou ansioso, por exemplo, há muito mais desses sentimentos guardados na sombra.

Assim como você, seus sentimentos justificam a existência deles. Oferecem motivos; constroem uma história convincente. No entanto, apesar de todas essas coisas, você pode se desprender da negatividade quando souber como. O processo começa com o reconhecimento de seus sentimentos indesejados, trazendo-os à superfície. Agora você precisa se desprender de toda a negatividade. Há um ato de equilíbrio aqui, porque você quer assumir responsabilidade (“Isso é meu“), sem exagerar, e se identificar com sua negatividade (“Isso sou eu“). A negatividade não é você, uma vez que você conhece seu self verdadeiro, que está além da sombra. Portanto, considere qualquer reação negativa como se fosse uma alergia, ou uma gripe, algo que modifica sua situação apenas temporariamente. Uma alergia é sua, mas não é você. A gripe o deixa infeliz, mas não significa que você está condenado a ser uma pessoa infeliz.

 

Passo 4: Abra mão do julgamento pessoal

Você tem as emoções que acha merecer. No entanto, muitas vezes, não são as emoções que você quer. Longe disso. Todos fazem malabarismo de sentimentos “ruins” e “bons”, o que leva ao julgamento pessoal. Envolta em sentimentos “ruins” — raiva, medo, inveja, hostilidade, papel de vítima, autopiedade e agressividade — há uma imagem pessoal que precisa dessas emoções negativas. Não há duas pessoas que as utilizem da mesma forma. Construímos nossa identidade de maneira ímpar. Algumas pessoas usam o medo para motivar a si mesmas na superação de desafios; outras o utilizam para se sentirem dependentes e vitimadas. Algumas lançam mão da raiva para controlar qualquer um que esteja à vista; outras temem a raiva e jamais a demonstram. No entanto, seu senso de self— e consequentemente a autoestima — está atado a todos os sentimentos que você possui. Todas as emoções são válidas, de uma maneira ou de outra. Mas, quando você acrescenta o ingrediente do julgamento próprio, qualquer emoção pode ser danosa.

 

Bem, hoje paramos por aqui, mas nas próximas postagens falarei da reconstrução do seu corpo emocional, recriação da sua visão de mundo, a plenitude, resolução de conflitos internos, segurança versus insegurança, amor versus medo, desejo versus necessidade, aceitação versus rejeição e o velho e conhecido “nós versus eles”.

Até a próxima!

DESCUBRA COMO SEU LADO SOMBRA ESTÁ AFETANDO SUA VIDA

Baixe o PDF gratuitamente e faça o teste

Comente:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *